Páginas

sábado, 18 de setembro de 2010

Festa na Praça

Desde segunda que acompanho os preparativos na Praça Independência para a festa comemorativa dos 200 anos da independência do Chile. O palco já estava montado há algum tempo, talvez esteja sempre lá, ai vieram as barraquinhas de madeira, que depois descobrimos eram os "restaurantes" e o centro da praça foi tomando por mesas e cadeiras. 
A gente que nem gosta de uma festa de rua, só espreitando ...
Mas por que aqui se comemora o Bicentanário da Independência chilena? Bom, senta que lá vem história.
A independencia das colonias espanholas na América, começou na Argentina com o General San Martin e na Venezuela com Simon Bolivar. Depois de derrotar as forças simpatizantes da coroa espanhola (que a essa altura estava ocupada pelas tropas Napoleonicas), O Gal. San Martin veio até Mendoza para preparar o exercito libertador que cruzaria a cordilheira para libertar o Chile e se juntar as tropas de Bernardo O'Higgins. Do Chile, os dois exercitos paratiram para o Peru, onde se juntaram com as tropas de Bolivar, lideradas por Sucre. Isso é um resumo bem resumido. Desde que foi dado o primeiro grito de libertadade da Argentina, no dia 25 de maio de 1810, e que o Peru conquistou sua independência se passaram uns 15 anos.  E a historia tem muitas idas e vindas, este é um resumo só para contextualizar a coisa. San Martin está para a historia argentina, como O'Higgins para a chilenae Bolivar para a venezuelana
Assim, o bicentenário que a Argentina e o Chile comemoram este ano é o do primeiro grito de liberdade.
Mas voltando a festa.
Ontem foi a primeira noite de festa, com muito churrasco, frutos do mar, empanadas e pisco, que a festa era organizada pela comunidade chilena em Mendoza. No palco inumeras apresentações culturais de musica e dança que o Guilherme curtiu muito. Como hoje é O dia do bicentenário imagino que a festa será ainda maior. Então, melhor chegar cedo ...

4 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Ai, daria um dedinho por uma empanada chilena/ argentina com pisco agora.
Que delícia chegar e já ter uma festa de rua tão boa, hein? Viva la independencia!
Beijos
P.S. Vários países também comemoraram 200 anos de independência este ano. O Brasil foi retardatário e teve uma independência ridícula e não reconhecida por Portugal...

Neda disse...

Paloma, na verdade é muito mais a forma que se deu a independência das colonias espanholas e a decisão de se comemorar o primeiro grito de liberdade. A Argentina, por exemplo, só ficou independente mesmo em 9 de julho de 1816, o exercito libertador de San Martin só cruzou a cordilheira em janeiro 1817, ou foi 1818.
Para mim, isso torna a independência do Brasil ainda mais ridicula (patética), mas em fim ...

Ah! Sabia que teve uma regata comemorativa aos 200 anos da independência de várias colonias, que saiu do rio e foi até Vera Cruz no México, cruzando o Estreito de Magalhães. A Fragata Liberdad, representante da Argentina, só participou de uma parte da regata por que não havia verba para participar de todo o percurso, até ai tudo bem, não fosse que no mesmo ano se destinaram 600 milhões de pesos a escolinhas de futebol, além do problema das obras superfaturadas etc. Os Argentinos não ficaram muito contentes não.

Clarissa disse...

Casinha de sapê tb é cultura!
Adorei!
E adorei mais ainda o Guille se esbaldando nos brinquedos :o)
E esse panelão é de paella? Nham!
Beijos!

Blenda disse...

adoro festa na rua :)