Páginas

terça-feira, 21 de junho de 2011

Passado - Intolerância a Glicose e diabetes

Na gravidez do Guilherme a única vez que perdi o chão foi quando abri o envelope do laboratório e vi o resultado da curva glicêmica. Sabia o que era, uma colega de trabalho havia contato que teve em suas gestações, os cuidados e tal, mas o desespero bateu forte na hora de preparar o café da manhã e constatar que praticamente tudo tinha açúcar, podia ser pouco, mas tudo tinha, até a bolacha água e sal. Claro que isso foi agravado pelo fato do João estar em Fortaleza para acompanhar a mãe em uma cirurgia, então já viu.

Eu estava no grupo de risco por que tinha mais de 25 anos e comecei a gravidez com sobrepeso, mas era isso. Na minha família não há um único diabético (hipertensos, cardíacos, depressivos ... sim), não estava engordando além do considerado normal para a minha faixa de peso, não tinha sede demais, nem fazia xixi demais, nada indicava que algo se passava. Fiz dieta, caminhada, e nos dois exames de controle a coisa se manteve estável, não aumento, mas também não diminuiu.

Quando fiquei gravida de novo, tratei logo de começar a me mexer, fazer uma caminhada, ginástica e dei uma melhorada no cardápio, diminui os carboidratos e segui em frente, afinal esta jornada começou com mais idade e mais peso. Então chegou o dia do fatídico exame, esperei voltar de Buenos Aires para pegar o resultado, não queria mesmo me torturar com isso no meio de uma viagem. O médico de férias, quem fez o controle foi a parteira, que tudo bem. Hoje, fui ao médico. Estou bem próxima do limite, mas que não preciso me preocupar. Se continuar fazendo o que venho fazendo que tudo bem. Sai da consulta mais relaxada.

A Intolerância a Glicose e Diabetes não tem sintomas na maioria das pessoas. Aquela história de beber muito líquido, fazer muito xixi é em casos extremos. O ganho de peso na gravidez também não é indicativo. O que você comeu no dia antes do exame não vai fazer muita diferença no resultado, tem que ser realmente MUITO. Nos fóruns dos quais participo mais de uma vez vi comentários de que o exame é supérfluo, que é procurar cabelo em ovo. Não é! O fato de eu ter nada nesta gravidez é bom, obvio, mas o fato de já ter tido significa que sempre tenho que estar atenta e de vez em quando fazer exames para saber se tudo está realmente bem. Só a glicemia não permite o diagnóstico, a minha sempre é normal, bem pertinho dos limites mínimos ou abaixo, já em sobre carga ...

Ah! Todo o resto está bem! Agora os controles são a cada 3 semanas, é a reta final.

6 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Que bom, neda, que vc está pouco a pouco se libertando dos fantasmas do passado. Esta gestação é outra história, espero que muito melhor (incluindo parto e primeiras horas)!
Beijos

Paloma, a mãe disse...

Que bom, neda, que vc está pouco a pouco se libertando dos fantasmas do passado. Esta gestação é outra história, espero que muito melhor (incluindo parto e primeiras horas)!
Beijos

Livia, mãe da Carol disse...

Cada gravidez é única, portanto, o que aconteceu na primeira pode nunca aparecer na segunda. Mas vc fez bem em ficar mais atenta! Vai dar tudo certo, Neda; teno certeza! Beijos.

Sandra Hellen disse...

Oi Neda querida!!!Obrigada pelas palavras e desejos bons!! :-) Parece que a massagem e o remedinho são pra valer mesmo...tô tão feliz que quem chora agora sou eu..rs rs.

Seu bebê é pra quando? Sabe que eu gostei tanto da experiência da gravidez e do parto que se pudesse engravidaria logo, logo...

Bjus

Livia, mãe da Carol disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Livia, mãe da Carol disse...
Este comentário foi removido pelo autor.