Páginas

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Blogagem Coletiva: Alimentação Infantil na Argentina

Falar da infância aqui sempre me remete ao passado, não por que passei muitas das minhas férias de verão por aqui, mas por que em muitos aspectos a infância aqui lembra a que eu tive há trinta anos. Nas coisas boas e nas não tão boas. Mas isso é tema para outro post, hoje vamos falar é de comida. A província de Mendoza é uma grande produtora agricola, o seu produto mais conhecido é a uva, principalmente já na forma de vinho, mas por aqui se produz muito mais do que isso o que faz da provincia a segunda maior exportadora de frutas e verduras da Argentina. E isso não é de agora, o escudo da cidade (este que está ai em baixo) tem um cornucópia, simbolo a abundância e prosperidade e esta fartura é um dos maiores orgulhos de qualquer mendocino.

 
Ao contrario de outros lugares, aqui a grande maioria das crianças comem todo tipo de frutas e verduras, mas isso é em casa. Fora de casa impera a cultura da "comida de criança". Conversando com outras mães sobre a alimentação na escola descobri, por exemplo, que eu era uma das poucas que mandava fruta para a merenda com regularidade. Fruta os filhos comem em casa e pronto. A comida do refeitório na escola é saborosa, mas não é o que considero ideal, acho pouco variada e há uma preocupação maior na quantidade de comida que as crianças comem do que na variedade. Este ano a comida deu uma boa melhorada nesse quesito, um grupo de mães do ensino fundamental andou dando umas incertas na hora do almoço e o cardápio passou por algumas mudanças. O que a maioria dos pais faz é dar uma caprichada no jantar com mais verduras e legumes. Ao fim do dia todos estão bem alimentados.
Se eu concordo com isso? Não, mas também não acho que as crianças aqui corram o risco de se tornarem obesas ou que no futuro a sociedade esteja condenada ao "fast food". Na escola do Guilherme há poucos "gordinhos", a maioria é estimulada desde cedo a praticar algum tipo de esporte. Muitos passam o dia correndo pelos parques e praças da cidade, andando em bicicleta e comendo em casa muita fruta, verdura e legumes. Se existe uma forma de equilibrar as coisas acho que por aqui o pessoal encontrou.
Por aqui, ainda não passamos pela fase de introdução de alimentação e confesso que ainda não perguntei muito sobre o tema. As amigas com bebês dão frutas da estação, verduras, iogurte, pães, bolachas ... nunca ouvi ninguém falar em mingau, mas há várias opções no mercado. Como faremos? Quando o tempo chegar veremos o que melhor vai se adaptar ao bebe, a nossa rotina e a experiência anterior. Posso adiantar que mingau não me atrai em nada, pães e bolachas podem esperar, mas ainda há muito a aprender sobre os produtos disponíveis aqui e quando podem e devem ser apresentados aos menores.

E no resto do mundo, como será a alimentação das crianças e como é feita a introdução de alimentos sólidos? Clique aqui para saber.

8 comentários:

Juliana Silveira disse...

Quando eu era criança, na minha casa não tinha muito frenesi em cima de comida, não tinha forçação mas não tinha indulgência na primeira reclamação. Tudo parecia natural. Mas confesso que eu me tornei mais atenta à minha alimentação quando adulta. Variar cores com frutas, verduras e legumes diferentes, enfim. Mas não posso dizer como isso funciona com bebês, tb gostaria de saber das experientes!

Carol disse...

Que legal, Neda!
Achei bem equilibrado, como vc mesmo falou. Se em casa a criança come bem, então vai se acostumar a comer tudo e não torcer muito o nariz por aí...
Beijinhos!

Celi disse...

Oi Neda,
Que bacana seu post! Fiquei curiosa para saber mais detalhes sobre o cardápio da escola. Acho mesmo que precisamos garantir uma boa alimentação aos nossos filhos. Precisamos fazer nossa parte, já que não ficamos satisfeitos totalmente com a escola.
Agora, não vai deixar de mandar frutas, né?! Cada mãe, cada mãe...rs
Um beijo e até mais.

Paula disse...

Pelo que tenho visto o pessoal ta meio insatisfeito com a comida da escola. Aqui sou eu quem mando a comida dele e também mando fruta mas acho q sou das poucas também. Mas o jeito ao parecer é o equilibrio né...dar em casa as verduras e as frutas também ajuda nossa consciencia de mae que fica tranquila q eles comeram. Beijos

Ana Paula - Journal de Béatrice disse...

Acredito que a base e boa educação alimentar aprende-se em casa. Por outro lado é muito legal quando as escolas estão em harmonia com o tal do equilibrio, de preferência sem frituras e demais besteiritos... De toda maneira, a influência local é forte e a gente acaba se acostumando e incorporando novos habitos alimentares.

Dani disse...

Neda, legal o sistema. Aqui na Italia, eles procuram das algo balanceado na escola, mas sempre dizem p em casa equilibrar a alimentaçao tb..acho mt legal isso, mostra cuidado.
bjos

Mikelli disse...

por aqui a comida nas escolinhas e creches tb sao meio pobres...ja vi que as vezes tem arroz com leite de almoço =/ o jeito é complementar e dar muita fruta e legumes em casa. bjs!

Carine disse...

Neda, que lindo este brazão!
Pois é, a cultura alimentar é um sujeito excelente e da o que falar. Hoje mesmo eu li um artigo sobre a alimentação de Hipocrates e a alimentação tradicional Chinesa se comparando com a nossa, percebi que nao é facil se achar no meio de tantas informaçoes no século XXI. Seguir intuição materna e utizar os alimentos que estão à sua volta ja é enorme.