Páginas

sábado, 16 de abril de 2011

Como é estar grávida na Argentina?

Será que estar grávida é diferente segundo o país? Até o momento posso dizer que sim! Outro dia fui a um aniversário com o Guilherme e lá estavamos todas reunidas, conversando alegremente, trocando idéias. Ai vem a pergunta: você não quer ter outro filho? Eu achei graça.
Uma das coisas que mais me incomodou na gravidez do Guilherme era a curiosidade alheia. Não a família e os amigos, mas de estranhos mesmo. Eu me sentia um imã de gente que não tem o juízo certo no lugar. Nem na hora de comer me deixavam em paz! Ninguém vinha falar quando eu estava devorando um hamburguer+batata+refri, mas quando eu comia salada ... sushi então era escondido, não adiantava explicar que eu não comia em qualquer lugar, que eu confiava na higiene, nada disso. Nem sei quantas vezes nós foi feita a pergunta: o que vão fazer com os gatos? Como assim?!?! Melhor nem falar dos palpites no assunto parto ou amamentação.
Aqui a reação foi animada, muitos parabéns e ... só. Todas perguntaram quanto tempo.Vinte e uma semanas! Que bom! Já sabe o sexo? Vai querer saber? Me diz quando é que no Brasil alguém pergunta isso? Nem o médico do US pergunta, já vai logo dizendo. Com o Guilherme demoramos a descobrir e eu quase fico louca com o povo enchendo o saco.
Ninguém se admirou que o bebê vai nascer aqui. Em Brasília todo mundo achava que eu ia parir em Fortaleza, e perder um mês de licença? Nem morta! Não foi feita a clássica pergunta: já marcou a data do parto? Mas obvio que rolou um pra quando é. Não foi feita nenhuma pergunta indiscreta e NINGUÉM PEGOU NA BARRIGA! Na roda de mães eramos 3 grávidas, cada uma separada pela outra por 2-3 semanas. Ninguém pegou na barriga de nenhuma de nós. Uma das mães pediu que estirasse a blusa para ver a barriga e só! Vieram os palpites do sexo pelo formato da barriga.
Vamos ver o que rola daqui pra frente.

6 comentários:

Carol disse...

é, aqui o povo tb não sai pegando loucamente na minha barriga não, mas muitos pedem (eu deixo, acho fofo!). E tb muitos perguntam pra quando é (NUNCA ouvi a pergunta "já marcou?", acho que eles acham meio absurdo isso). E todo mundo sempre me pergunta o sexo (e antes deu descobrir, o povo perguntava tb se eu ia querer saber). Como não fui uma grávida no Brasil, não sei a diferença, mas com certeza a coisa aqui é mais amena!

beeeijos!

Paloma, a mãe disse...

Que bom que são mais discretos. Acho que estes pequenos detalhes tornam a vida social de uma grávida muito mais leve (e tudo neste sentido é muito bem-vindo na gravidez - e na vida -, né?).
Beijos

Juliana Silveira disse...

Puxa Neda, ouvindo seru desabafo fico lembrando de como ficamos te enchendo aqui. Mas no nosso grupinho, você era primeira a ser mãe. Na verdade, você era a primeira adulta mesmo, já morava com namorado e tal. Mas você é tão polida que nunca (me) deu um chega pra lá. Mas peço desculpas agora... meio tarde, né? Eu não fazia ideia... sorry...

Neda disse...

Juju
Vocês eram bem discretos e são meus amigos. Nunca me senti invadida, pelo contrario, era um carinho enorme! O que me incomoda são as pessoas praticamente ou completamente desconhecidas que decidem palpitar, pegar, reclamar e xingar.
Não tem por que se desculpar.
Bjs

Juliana Silveira disse...

Ufa, que bom. era carinho mesmo, viu? e agora também, mesmo que a distância! bjs

Luana disse...

GENTE! Neda, preciso engravidar na Argentina. Hahahahaha Que maravilha! Boa sorte, saúde e paz pra vocês, querida :) Beijos, Luana, Olivia e Ricardo