Páginas

quarta-feira, 21 de março de 2012

Amamentação: como pode ser difícil se já foi fácil?

Curioso como algo que fizemos com relativa facilidade no passado (os primeiros dias de amamentação nunca são tranquilos, mesmo quando não há dificuldades) pode dar dor de cabeça da segunda vez. Felipe e eu precisamos de uma ajudinha para acertar a pega, isso me custou quase um mês de mamadas muito dolorosas e algumas lágrimas, em um certo ponto eu fiquei 24 horas oferecendo um seio e ordenhando o outro no chuveiro, com a ajuda do vapor da ducha por que simplesmente não aguentava a dor
A consultora de aleitamento materno veio aqui em casa uma tarde e aos poucos foi nos sugerindo soluções. A verdade é que Felipe pegava certo um dos seios, já o outro ... e até hoje não sabemos por que, foram tentadas várias posições e no final foi um insight meu que trouxe a solução, uma tarde fria, mas com o sol entrando pela janela decidi tirar a roupa do Felipe e a minha blusa também, ficamos os dois assim corpo a corpo, e não é que deu certo! Aos poucos ele foi se entendendo com o peito e tudo foi se resolvendo.
Além de acertar a pega, eu usei as conchas para evitar que os seios ficassem úmidos, passava o próprio leite depois de cada mamada e deixava secar e também usei uma pomada de calêndula bastante popular por aqui. É verdade que o Felipe não pegava bem o seio, mas o problema começou na maternidade quando uma enfermeira encucou que bebê não mamava por conta da anatomia do meu seio e mesmo quando expliquei que era o meu segundo filho e que não havia tido problemas em amamentar o primeiro ela não sossegou enquanto não fez a glicemia e ligou para o médico de plantão (o hoje pediatra do Felipe) para saber se era pra dar LA. E também veio com uma seringa para me ajudar a formar o bico do peito e foi ai que a coisa complicou, por que o bico foi puxado demais e fez com que a coisa ficasse mais feia. Mas a meia-noite, depois de um dia de trabalho de parto, tudo o que eu queria era voltar a dormir e que o Felipe continuasse dormindo. 
Por sorte, do outro lado da linha o pediatra me deu razão, mas Felipe não continuou dormindo.
Hoje está tudo dominado, a única coisa é que Felipe não gosta de ser perturbado enquanto mama, não dá pra eu fazer outra coisa, mas isso eu já acostumei, afinal dura tão pouco e não tem nada que eu precise fazer que não possa esperar uns minutinhos.

2 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Poxa, Neda, que enfermeira pé no saco, viu? no brasiul, também me deparei com enfermeiras assim, totalmente sem noção, me oferecendo Nan a cada probleminha. Ofereceram Nan até para eu poder descansar (oi?). Bizarro, né? Só as enfermeiras dos bancos de leite e as especialistas em lactação se salvam. Dos médicos, contamos menos ainda, uma pena.
Ainda bem que vc conseguiu superar, que vc é bem informada e sabia que daria certo. Cali também passou por uma fase em que não gostava de que eu fizesse nada enquanto ela mamava, mas passou.
Beijos

Sandra Hellen Kautto disse...

Taí, sempre tive a convicção de que se tivesse um segundo filho não teria dificuldade nenhuma com a amamentação, já que a mesma foi e é um sucesso aqui... mas bom que vc teve o insight e tudo se ajeitou!!

Bjus