Páginas

terça-feira, 28 de junho de 2011

Hábitos e vícios

Ontem, a caminho do mercado o Guilherme reparou que no carro ao lado o motorista fumava e perguntou por que ele fumava dentro do carro. Não era a primeira vez que via alguém fumando, em Cabo Verde temos amigos que fumam, o marido da minha tia fuma cachimbo, mas por algum motivo o senhor fumando no carro chamou a atenção do menino.
Explicamos que há pessoas que tem hábitos que se tornam tão importantes que a pessoa já nem liga se faz mal para a saúde ou não. E como exemplo usei o fato de o pai beber muita Coca-cola mesmo sabendo que não é nada saudável. Para algumas pessoas, o hábito passa a ser tão importante que passa a ser a coisa mais importante.
E pra levar o tema ao universo do pequeno falei que agora no inverno ele está com o hábito de cutucar o nariz, mesmo sabendo que é feio. Após uns segundos de silencio ...
- eu tenho o hábito de comer "mocos*"!
Gargalhada geral na fileira da frente.

*mocos = meleca

3 comentários:

Sandra Hellen disse...

Um hábito é mais fácil de ser modificado, mas um vício requer muita força de vontade e ajuda.

Bom que dentro da realidade do seu pequeno ele entendeu! :-)

Bjus

Paula disse...

Neda obrigada pela visita la no blog mas fiquei com medo de imaginar o que vem pela frente ainda mais como foi o meu irmao e o pai do Samuel eu vou viver levando susto ahahaha E o habito do Guilherme foi o máximo! Nao é que ele entendeu mesmo!! Cada idade tem coisas boas e complicadas ne! Que delicia!! Beijos

Paloma, a mãe disse...

Hahaha, morri de rir com esta!! E mocos são orgânicos, né? Um hábito muito mais saudável que Coca-Cola e cigarro!
Beijos