Páginas

domingo, 11 de julho de 2010

É tempo de percebes

Depois de quase dois anos em Cabo Verde, finalmente provei o famoso percebe ou perceve (pollicipes pollicipes), esse crustáceo de aparência estranha e bastante apreciado na Peninsula Iberica e na França. Segundo me falaram, por lá é um artigo de luxo, caro e dificil de encontrar (não tenho como comprovar isso, além do fato de nunca ter visto em nenhum cardápio fora de Cabo Verde). Por aqui, o bichinho também é bastante apreciado e se não é proibitivamente caro, mantem seu estatus de iguaria uma vez que não é sempre que se encontra. Eu já havia visto antes para vender na rua, como vendem as cordas de caranguejo no nordeste e não comprei, como não compro o caranguejo.
Eis que, no almoço de domingo, vejo o bicho na mesa dos peixes frescos no restaurante. Não podia deixar passar. Pedi uma porção de entrada e ela chegou vistosa em cima de uma cama de gelo (se é assim que se come aqui, ou é coisa do restaurante eu não sei, mas gostei). Então, perguntei ao garçom como se come, é mais fácil que comer caranguejo, basta rodar um pouco a "unha"e quando ela solta da perninha puxar que a carne sai. Hummmmm como descrever o sabor, a consistência? Eu diria que é mais firme do que uma ostra e que tem gosto de mar e garanto que sempre que puder, vou comer! O dono do restaurante disse que vai bem com uma cerveja, confesso que fiquei com vontade de tomar um espumante estupidamente gelado.

Fotografia de um monte de percebes (Pollicipes pollicipes). Tirada do Wikimedia Commons

Conheço muita gente que não gosta. João mesmo olhou com desconfiança, mas se rendeu na primeira patinha. Da minha parte, fica a dica de sempre que por estas bandas, ou na Espanha (Canárias inclusive), Portugal, França, Marrocos ou Senegal, vale a pena ficar de olho e pelo menos experimentar.

4 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Ai, Neda, qque maldade. Tô com água na boca, quero comer já!! Amo caranguejo e já amo percebes, mesmo sem conhecer.
Beijos

Neda disse...

Você vai adorar o percebes.
Agorinha li no blog que você anda com uma vontade louca de comer polvo, não sabia da relação dos "alienigenas do mar" com o trabalho de parto.

Bjs

Paloma, a mãe disse...

Não sei se esta relação existe mesmo, acho que depende de cada organismo, mas que tem comidas mais fortes, que não caem tão bem numa grávida, isso tem.
Beijos

Sofia Fonseca disse...

Oi Neda

O truque dos percebes é cozinhar em àgua do mar
Um molho com sumo de limão e malagueta
Cerveja gelada

Beijiinhos