Páginas

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Cê tá de brincadeira comigo, né?

Eu detesto minha memória, ela me deixa na mão nos momentos mais inoportunos, mas sei lá por qual motivo armazeno um sem fim de informações inúteis, comentários e trechos de conversas. Do nada posso reproduzir um diálogo tido há anos, 10, 15 anos ... agora me explica porque as vezes eu esqueço conversas que tive pela manhã e não me venham que se não lembro é porque não deveria ser importante, não é assim que eu funciono.
A questão é que de uns tempos (um bom tempo) pra cá, com o advento dos blogs, redes sociais e afins tenho tido a oportunidade de ver pessoas negarem aquilo que há algum tempo era absoluto. Do tipo, passam a vida dizendo que querem algo, e assim, do nada, dizem que jamais pensaram na possibilidade daquilo. Claro que todos tem o direito de mudar de idéia, eu mudo de idéia no caixa do supermercado, que dirá sobre se quero morar em casa ou apartamento, ter animais de estimação, lugar onde passar as férias ...
Uma amiga de infancia, quando eu fiquei grávida, comentou que não queria ser mãe. Que não achava que seria uma boa mãe nunca. Ela mudou de idéia, teve uma linda filha e fala sobre isso numa boa. Eu fico super feliz em ver que ela se descobriu uma mãe que achava impossível e o bebê foi planejado, não foi por acidente não.
Meu problema está na dificuldade que algumas pessoas tem em admitir isso ou será que só eu lembro? Ou sonhei? Será que LOST é real e eu estou me lembrando de algo que pode ou não ter acontecido?
Claro que não deveria me importar com isso, nao afeta a minha vida em nada. Mas isso é na teoria, por que na prática começo a questionar a minha sanidade, a minha memória. Dependendo da pessoa, eu sei que não pirei na batatinha, mas outras vezes ... mas por que eu inventaria algo assim, que peças minha cabeça anda pregando? Será que sonhei isso e fixei como realidade?

3 comentários:

Raquel disse...

Tu não imaginas como eu sei bem o que isso é...
99% das vezes as pessoas estão mentido na cara de toda a gente, umas sabendo bem que o fazem, outras nem por isso, sabes aquela de que uma mentira deve ser dita tantas vezes até que se torne verdade, então, acho que muitas pessoas estão neste grupo.
Eu mudo de ideias, sobre tudo e todos a qualquer momento, várias vezes, mas eu sou geminiana né? Faz parte de mim e como alguém um dia disse, só os burros é que não mudam.

Neda disse...

Deve ser bem isso mesmo ...
Mudar de idéia é tão bom! Crescemos tanto, não é?

Mari Hessel disse...

Olá Neda!
Acabo de conhecer seu blog... Vim através do blog da Paloma (Peripécias de Cecília).
Seu blog é uma é lindo, parabéns!
Adorei conhece-lo!
Quando quiser nos visite lá no Mundo do Pedro - http://mariepe.blogspot.com.
Será um prazer receber sua visita!

beijinhos
Mari e Pedrinho