Páginas

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Quem lê viaja ...


Tenho percebido que muita gente substituiu os livros pela Internet. Não, não me refiro a quem usa dicionários on-line, enciclopédias ou lê os jornais. É gente que simplesmente aboliu o livro, não lê mais textos de centenas de páginas, sua leitura se resume a blogs, noticias e informações fragmentadas que circulam na internet. Admito que tem coisa bacana, textos bons e informações verdadeiras e úteis na rede, mas convenhamos que há muita besteira, sensasionalismo e informações falsas circulando por ai. O que isso significa? Para mim, aos poucos as pessoas estão perdendo a paciência de ler um texto até o fim, de realmente entrar de cabeça nas palavras e interpretar o que está escrito, absorvem as palavras e não o todo, o significado completo da coisa se perde. O outro lado, tão grave, se não mais grave, é estão desaprendendo a escrever, não é só o uso do miguxes (ou seja lá como se escreve), noto que, cada vez mais o raciocinio não se completa, as frases ficam soltas e, pior de tudo, na falta de habilidade de expor um ponto de vista as pessoas estão partindo para o ataque, xincamentos mesmo. Claro que há exceções! Por favor!
Eu venho de uma casa abarrotada de livros, livros de todos os jeitos. Todos temos gostos bem distintos quanto ao que lemos, uns gostam de ficção, outros de biografias, auto-ajuda, tem quem goste de romance água com açúcar, mas ao fim e ao cabo todos sempre lemos de tudo, ou quase tudo. Sempre me foi estranho entrar em uma casa sem livros, nem que seja de decoração. Na família do João é um pouco diferente, mas em umas férias o João foi picado pelo bichinho do livro e nunca mais parou. Ele devora livros numa velocidade impressionante inglês ou português ele sai lendo tudo e ele gosta de ter seus livros por perto, a sua biblioteca. Até o Guilherme anda com seus livros de cima pra baixo. Livros são a única coisa que ele pode pedir que nunca será negada (sempre e quando o $$$ der para isso).
Não, nós não somos uma dessas famílias sem televisão e com acesso restrito a internet. Aqui a TV passa boa parte do dia ligada e João e eu somos viciados em internet. Mas os livros tem lugar garantido e fazem parte do nosso dia a dia. Aqui, livro é um presente sem erro. Bom, sempre se corre o risco de já termos, mas ai é outra história.


A imagem que ilustra este post me foi mandada pela cumadi, ela é do André Neves, um ilustrador de mão cheia, ou como ele se define, um comfabulador de imagens.

4 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Também acho livro o melhor presente, para adultos e para crianças. Ciça adora! Hoje mesmo, veio me acordar com um livro na mão, pedindo para eu ler para ela (deveria ser antes de dormir, mas foi ao acordar, vai saber!).
E o layout do blog está lindo, adorei! Quero taaaanto mudar o meu, mas tenho medo de perder textos. Vc perdeu alguma coisa? Vc crioun o layout ou ele estava pronto já?

Neda disse...

Paloma, eu que fiz! hehehehehehe
Na verdade usei um modelo existente e coloquei a foto ai de cima. Ah! e tirei as molduras. Que tenha percebido não perdi nada, é a Néssima vez que mexo aqui, mas acho que finalmente encontrei a forma. Agora é só ir mudando a fotinha de cima e pronto. Se quiser te ajudo.

Perdida pelo mundo disse...

Oi Neda!
Agradeço o teu comentário lá no blog.

Só para avisar também que te mandei um e-mail (achei melhor assim)

Bj

Eulalia disse...

Nunca pensei que a resposta ao e-mail fosse ser tão bacana!
Beijos aos meus amores!