Páginas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

O sutaque do Guilerme

Assim mesmo, foneticamente cearense!
Desde que Guilherme pronunciou as primeiras palavras o sotaque dele parece despertar a curiosidade de algumas pessoas na família, principalmente na família do João. Como o sotaque dele vai ser eu não sei, não sei mesmo. Uma coisa curiosa é que muitas das palavras são pronunciadas num carregado sotaque do Ceará, coisas como o pessoal do interior fala e em casa nem eu nem João falamos assim. O melhor exemplo é a "raca", que pode ser faca ou vaca, dependendo do contexto. Mas também tem o "reméi"e outras tantas. Será que o sotaque é genético? Ele herdou de algum bisavó, trisavó?
Se antigamente Guilherme se acanhava na hora de falar, isso hoje não é problema, na verdade as vezes ele fala demais, e de um jeito só dele, não é sotaque de lugar nenhum, é o jeito dele falar, de pronunciar ou deixar de pronunciar cada letra. A voz ainda é aguda e ele não aprendeu a regular o volume, em casa não temos problema em entender o que fala (ok, algumsa vezes não dá mesmo para entender) mas muita gente em Cabo Verde tem dificuldade em entender, e dizem ser por conta do sotaque.

3 comentários:

Paloma, a mãe disse...

Que lindo! A Ciça tem um sotaque paulista (leve, ainda bem! hehehe), mas tenho certeza de que ela vai perder. Vai ficar misturado com o de Brasília (que eu ainda não identifico, mas acho que tende ao nordestino, pelo que ouço) e depois, só deus sabe. Como o de Guilherme, que vai ser esta mistura toda.

Helga disse...

Hahahahahah adorei! :D Mas D. Neda, a senhora tem um bocadinho de nada de sotaque. Ok, Seu João tb.. E é MUITO BONITINHO de escutar. :D

Laila disse...

Vige Maria!! Acho que ele puxou a tia!! Sotaque mais carregado que o meu, em ambas famílias, n conheço n, oh...hahahaha!!