Páginas

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Sucupira

Se tem um lugar que quem vem a Praia não pode deixar de visitar é o Sucupira, trata-se do maior mercado de Cabo Verde. O mercado tem esse nome inspirado na novela, na verdade no Cemitério, que foi inaugurado, mas não aparecia defunto para ser enterrado, saca? Pois com o mercado foi a mesma coisa, teve sua pomposa inauguração, mas ninguém ocupava o lugar, demorou um tempo para a coisa "pegar". Lá se vende "d´um tudo", tudo mesmo. Móveis, roupas, eletrônicos, produtos de beleza, tem salão de beleza, mulheres que fazem penteados, tecidos vindos do senegal, artesanato, comida (peixe, leitões, verduras, legumes), novos e nem tão novos assim.
Uma das coisas que se percebem assim que estamos perto do sucupira são os barris de petróleo, os bidões. Eles são enviados por emigrantes que estão nos Estados Unidos que, pelo que consegui descobrir, conseguem enviá-los de graça, ou a um custo muito baixo. Neles mandam roupas, muitas adquiridas no "good will", produtos de origem e qualidade duvidosa, perfumaria. O desembaraço alfandegário é mais simples, e o imposto cobrado costuma ser baixo. Mas, como todos são abertos se o fiscal encontrar produtos caros o imposto sobe consideravelmente. Muita gente compra os bidões fechados também para vender no mercado ou nas ruas, é o bidão surpresa. No fim do dia o que não foi vendido volta pro barril. Os bidões vazios são vendidos por algo como R$25,00 e as pessoas compram para armazenar água(lembrem que aqui o fornecimento é irregular) e grãos.
Mas voltando ao mercado, o lugar é um labirinto, impossível de percorrer tudo sem a ajuda de um "guia" local (do mercado). Por sinal, não só no mercado, mas também nas cidades, as noções de paralelas e perpendiculares ficaram só nas aulas de geometria, isso ajuda na hora de se perder que vocês nem imaginam, hehehehehehe. Mas ao contrario do que eu imaginava o lugar não é lotado e até mais arejado do que a Feira dos Importados lá em Brasília. Pelo menos foi assim que o encontramos, quem sabe da próxima vez o cenário é outro.
Como decidimos já fora de casa que iriamos para lá, não levei a camera, mas para ver algumas fotos vocês podem clicar aqui, aqui e aqui.

2 comentários:

Helga disse...

Essa eu não entendi: Pq o cemitério não era usado?
Esse povo, só copiando o outro mercado lá, tb com nome saído da mesma novela. :P
Sobre feiras que vingam ou não vingam: Sabe aquele xópis popular vizinho da rodoferroviária? Eu, por exemplo, até agora não fui lá. Mas parece que está até bacaninha. GDF fazendo bastante propaganda.
Gostei das fotos. :) Tem cara mesmo de que dá pra se perder se não conhecer o local. :P Faz assim: vai jogando jujubas pra ir marcando o caminho. :D

Carlos Santos disse...

Obrigado pela referência às minhas fotografias do mercado de Sucupira. Essa viagem foi uma grande experiência pessoal!